gestão financeira hospitalar

Gestão financeira hospitalar: hábitos para não praticar

A produtividade é considerada como um dos fatores mais importantes para se alcançar o sucesso dentro de uma organização. Entretanto, diversos fatores podem ser responsáveis por impactar a produtividade e o desempenho do trabalho, inclusive uma má gestão financeira hospitalar.

Imagine que um administrador tenha hábitos ou vícios em seus processos de trabalho que não estão contribuindo para o desenvolvimento da empresa. Aspectos como esses atingem empresas dos mais variados setores, incluindo instituições de saúde.

Portanto, é importante que os líderes e gestores à frente de empresas de saúde compreendam que certos hábitos podem prejudicar na gestão financeira da organização.

Ao se referir sobre gestão hospitalar pode ser algo extremamente complexo, pois a sua administração, quando é realizada por profissionais sem a devida especialização, ocasiona conflitos no processo decisório orçamentário e financeiro.

Esses profissionais que estão incumbidos das tarefas de gestão devem estar preparados para saberem lidar com diversas informações e que irão interferir na tomada de decisão.

O que é Gestão Hospitalar?

A Gestão Hospitalar é a área responsável por envolver o gerenciamento de todos os processos, materiais, pessoas e equipamentos dos sistemas da saúde, bem como a logística dos estabelecimentos de assistência médica, o controle de compras e custos, o planejamento, entre outros.

O gestor hospitalar ou gestor de saúde é o profissional responsável por zelar pela organização deste setor. Cabe a ele entender de todo o funcionamento de um hospital ou clínica. O gestor terá o compromisso de ter o conhecimento técnico, administrativo e financeiro para tomar decisões mais assertivas, aperfeiçoando ou modificando os processos para que o ambiente funcione da melhor forma.

Hábitos para não praticar na gestão de saúde

Sem capacitação em gestão, o gestor hospitalar impacta o desempenho financeiro pela falta de entendimento nos processos administrativos. Com isso, gerando condutas e hábitos que não são os melhores para a área. Por exemplo:

  • Deixar de lado as pequenas despesas;
  • Não ter indicadores e relatórios;
  • Estar em falta com a conciliação bancária.

Dessa forma, situações que podem parecer simples, na verdade, impactam a entrega dos resultados desejados para o seu negócio.

Por isso, o E-book “Gestão financeira hospitalar: 10 hábitos para não praticar” é o material ideal para que gestores encontrem orientações importantes para eliminar hábitos que prejudicam na gestão.

Boa leitura!